EM MEIO À CRISE DO ENEM, MINISTRO HADDAD É DECLARADO CANDIDATO PELO PT À PREFEITURA DE SP


||Política
11/11/2011 | 19h10 | Por Igor Dias
Após desistência de Marta e Eduardo Suplicy, Jilmar Tatto e Carlos Zaratti desistem de pré-candidatura  abrem espaço para Haddad, nome que era defendido pelo ex-presidente Lula.

Na sede nacional do PT, Haddad é proclamado candidato do partido | Foto: Roney Domingos - G1 |

A disputa eleitora pela prefeitura de São Paulo já começa a ferver. A disputa eleitoral da cidade que tem o 3º maior orçamento do país (perde apenas para os orçamentos da União e do próprio governo do Estado de São Paulo) parece começar a tomar forma.

Enquanto muitos partidos anunciam seus pré-candidatos à concorrência da prefeitura paulistana, hoje, o Partido dos Trabalhadores se antecipou anunciando Fernando Haddad, Ministro da Educação, como candidato do partido. Jilmar Tatto e Carlos Zarattini, até então pré-candidatos pelo PT, anunciaram a desistência em concorrer nas prévias eleitorais no partido. Com isso, Rui Falcão, presidente do partido, fez o anúncio da candidatura do ministro.

A desistência de Jilmar e Carlos elimina a necessidade de se fazer as prévias eleitorais, pois os outros pré-candidatos, Marta e Eduardo Suplicy (Senadores), também haviam desistido de concorrer à pré-candidatura. Haddad já era querido pelo ex-presidente Lula como o nome para a Prefeitura de São Paulo desde o início, e isso abriu lugar para Haddad como candidato do partido.

Contudo, ainda são muitos os desafios a serem vencidos pelo ex-presidente e por seu representante à candidatura a um dos mais cobiçados cargos executivos do país (o de prefeito da maior e mais rica cidade do país). E o desafio maior a ser vencido é justamente originado pela administração de Haddad como ministro. Há três anos, o Enem, um dos índices brasileiros de avaliação de Ensino no país, é destaque nas capas dos principais jornais e revistas de todo o país.

Este imenso desafio a ser vencido poderá ser usado por alguns candidatos, pois a crise ainda não foi completamente esquecida. Ainda mais dada a recorrência dos problemas e transtornos gerados pelo Enem. E, se o PT pensa em conquistar os eleitores entre 16 e 18 anos, cujo voto é facultativo, o desafio é gigantesco, já que muitos estudantes passaram por momentos de estresse inesquecíveis, todos proporcionados pelo Enem.

ENEM

Nos últimos anos, o Enem vem causando verdadeira revolta nos milhões de estudantes egressos do Ensino Médio. Isso porque faz três anos consecutivos que escândalos de vazamento de informações permeiam o Enem. Em 2009, vazamento do conteúdo total da prova fez com que ela fosse remarcada, causando diversos transtornos aos estudantes brasileiros que prestariam o exame. Muitos sequer foram prestar o exame, que teve sua data alterada dias antes à realização oficial prevista. Como a data escolhida coincidia com a realização dos maiores vestibulares, o índice de abstenção foi o maior da história do exame.

Um ano depois, em 2010, tudo parecia estar tranquilo. Mas, quando realizado, muitos estudantes reclamaram de problemas nas folhas de provas. Além disso, alguns chegavam a dizer que questões da prova teriam vazado e muitos dos candidatos teriam sido privilegiados por isso. Mas nada, neste sentido, foi realmente comprovado de forma efetiva, exceto o problema causado pelo gabarito invertido das provas.

Dias antes do exame, neste ano, alunos do Rio de Janeiro receberam em suas casas os locais de prova. Tudo estaria normal se este fator não houvesse sido comprometido pelo envio incorreto dos locais de prova a que os alunos se submeteriam à realização do exame. Apesar disto, o MEC (Ministério da Educação), órgão organizador da prova, conseguiu reverter a situação, solucionando o problema dias antes à realização da prova.

Parece que isto seria um indício de que, mais uma vez, o Enem estamparia as páginas dos jornais do país. E realmente o foi. Desde o dia do exame, ações na justiça causaram incerteza em estudantes do país, pois não sabiam se teriam de realizar o exame novamente. Após idas e vindas, o TRF 5ª Região decidiu que questões seriam anuladas e somente os alunos do Colégio Christus seriam “penalizados” pela ação, impetrada pelo MEC para recorrer a uma decisão anterior, que anulava 13 questões do Enem em todo o país.

Apesar do fator Enem, Fernando Haddad avalia que sua estada como ministro foi positiva. Em entrevista ao portal G1, da Globo, o ministro disse ter certeza de que isso o ajudará em sua campanha. Ele ainda acrescenta: “Antes do governo Lula o paulistano tinha 10 mil vagas públicas, das quais, 75% eram preenchidas por alunos de escolas particulares. A partir da expansão das federais, do Prouni e do Enem, o paulistano tem 300 mil bolsas de estudo, 150 mil vagas em universidades federais em todo o Brasil fazendo o exame perto de sua casa, no final de semana.”

Quando questionado pelo jornalista do G1 sobre o que ocorreu no Enem e os impactos causados, Haddad afirma que “no que se refere aos crimes, foram dois crimes. Em um o criminoso foi condenado a cinco anos e três meses de cadeia e eu espero que o criminoso deste ano seja condenado por um mesmo período”.

VEJA +
Haddad defende Enem Obrigatório
Em palestra, Haddad defende investimento maior em Educação
Enem tem erro pelo terceiro ano consecutivo
Erro no Enem. De novo!
Opinião: “E nem” para nada mais

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s