O SERTÃO VIROU O SUL, O SUL VIROU SERTÃO


|| COTIDIANO
09/01/2012 | 00h35 | Por Igor Dias
Parece estranho, mas a falta de chuvas no sul do país causa preocupação às autoridades locais.

Santo Augusto
Foto: Luis Frey (RBSTV)

É comum a notícia de que o Brasil esteja sofrendo com processos de estiagem em determinados locais, principalmente na região Nordeste, acostumada com longos períodos de seca. Isso é tão comum, que obras da literatura se consagraram tamanha foi a descrição feita por seus autores. Entre as obras, talvez, Os Sertões, obra modernista da segunda fase do movimento iniciado na segunda década do Século XX, tenha sido a que mais conseguiu transmitir a dimensão destes períodos de estiagem, assim como isso influenciou (e ainda influencia) até mesmo na cultura regional.

Mas o fato é que, agora, as atenções estão voltadas para outra localidade, pois o sertão está deixando de ser sertão e o sul do país está virando sertão. 107 cidades do Rio Grande do Sul já decretaram estado de emergência em decorrência da falta de chuva na região. O número de pessoas afetadas pela seca ultrapassa os 460 mil segundo a Defesa Civil. Ainda, outras 35 cidades enviaram notificação preliminar às autoridades competentes, sendo ingressadas à listagem dessas cidades em estado de atenção dentro dos próximos dias. Dentre as culturas mais afetadas, estão as de milho e feijão.

Mas a seca não atinge apenas as regiões agrícolas do estado. Mesmo em Novo Hamburgo, na região do Vale dos Sinos, cidade com pouco mais de 250 mil habitantes e muito conhecida pela fabricação de calçados, as notícias da seca deixam as autoridades responsáveis pela distribuição de água preocupadas. A cidade da Grande Porto Alegre vive dias preocupantes, pois o nível do Rio dos Sinos está baixando rapidamente. Em menos de seis horas, o rio teve recuo de 5 cm. (pela manhã, a marcação era de 70 centímetros, passando a 65 ao meio-dia). Segundo a Comusa, o racionamento não tem data para terminar, e os cortes no abastecimento de água poderão ocorrer mesmo aos sábados e domingos. O racionamento de água no município ocorrerá sempre por setores, e o corte no fornecimento de água ocorrerá entre 22h e 4h.

S. Paulo das Missões

Foto: Luís Frey (RBS TV)

O governador em exercício do Estado, Beto Grill, assinará, como forma de amenizar o problema causado pelas secas, um decreto coletivo de emergência. Isso possibilitará a liberação de verbas federais de maneira mais rápida, dada a situação emergencial. Além disso, medidas como a abertura de poços, açudes e cisternas também farão parte das medidas que serão anunciadas na manhã desta segunda-feira.

Desde novembro, segundo a Emater/RS, o estado deixará de colher cerca de 1,76 milhão de toneladas de grãos. As perdas já somam R$ 870 milhões segundo a instituição. Somente a cultura do milho, somam 25% de redução na produção. Agricultores dizem que sequer há água para consumo humano.

“Aqui está tudo seco já faz uns 15, 20 dias. Não temos água para tomar nem para o gado”, diz Sebastião Rosa em entrevista à RBSTV, uma das afiliadas da Rede Globo.

E a previsão de chuva para o estado é desanimadora. Segundo institutos de meteorologia, a chuva deve ser escassa no estado e a situação só melhora depois de fevereiro.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s