ANUNCIADO NOVO CORREDOR DE ÔNIBUS PARA SÃO PAULO


|| TRANSPORTES
12/06/2012 às 16h26 | Por Igor Dias
Ontem, o Governo do Estado, por meio da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), anunciou a construção de mais um corredor intermunicipal: o projeto interligará a capital paulista a Guarulhos.

Ontem, a EMTU anunciou a criação da Perimetral Jacu-Pêssego. O anúncio não traz grandes esperanças aos moradores da Zona Leste, que, constantemente, sofrem com os problemas existentes com transporte público dentro da capital.

O novo corredor ligará o Cecap, em Guarulhos, ao Terminal São Mateus, no extremo leste da capital paulista. Este acesso trará, ainda, a ligação entre Guarulhos e o Aeroporto Internacional Franco Montouro (Cumbica). Isso viabilizará a estadia de alguns visitantes à região de Guarulhos na ocasião dos jogos da Copa do Mundo em 2014.

Ao todo, serão 26 km de extensão. E, pelo projeto, prevê-se a utilização por mais de 175 mil passageiros. Além disso, serão instaladas 3 possibilidades de acesso com ônibus expressos, semiexpressos e parador (aquele que vai parar em todos os pontos), contando com 195 ônibus para esses três tipos de viagem. Ainda, pelo projeto, o sistema será planejado de forma que os ônibus possam ultrapassar outros que estejam parados, evitando filas.

A gente olha hoje para os corredores e tem um ônibus atrás do outro. Esse aqui, junto as estações de embarque, terá uma faixa adicional para ultrapassar, disse Joaquim Lopes, presidente da EMTU.

O local que receberá o corredor é a Avenida Jacu-Pêssego, principal ligação entre a Rodovia Ayrton Senna e o Rodoanel. A avenida, uma das mais importantes da zona leste, tem recebido grande fluxo de veículos, aumentado ao longo dos anos e pela decisão do Prefeito Gilberto Kassab, que proibiu diversos caminhões de circularem nas Marginais Tietê e Pinheiros.

JACU-PÊSSEGO

A Avenida Jacu-Pêssego, desconhecida por muitos motoristas da capital paulista, fora construída na gestão do ex-prefeito Paulo Maluf. A via interligava, no início, os bairros de S. Miguel Paulista a São Mateus, tendo sido ampliada posteriormente. Atualmente, a avenida interliga as cidades de Guarulhos, Santo André, Mauá, ao Rodoanel, sendo, hoje, um importante elo entre essas cidades, a capital paulista e o acesso à região da baixada santista.

Se, antes, a avenida não possuía trânsito intenso, passou a ter após a determinação do prefeito Gilberto Kassab, que proibiu o tráfego de caminhões pela Marginal Tietê. Com isso, milhares de caminhões são obrigados a transitar pela Jacu-Pêssego, dirigindo-se ao Rodoanel. O que antes nunca se imaginava ver, agora é rotina: trânsito intenso, com veículos parados muitas vezes.

Quanto ao transporte, a via é pobre. São pouquíssimas as ofertas de transporte público. E, quando as tem, são pequenos trechos, imperando linhas intermunicipais. E, mesmo elas, não passam por toda sua extensão.

ZONA LESTE E CENTRO

O interessante neste contexto é que a zona leste, que possui, segundo plantas da prefeitura (referentes ao plano-diretor), projetos de implantação de metrô na região, será a única a não receber nenhum investimento para expansão da rede metroviária até 2014. O Morumbi, ao contrário, que deixou de ser a sede da Copa, está, inclusive, sendo alvo de protestos contra a implantação do Metrô (linha feita em sistema de monotrilho entre o Morumbi e o Jabaquara).

Para quem não conhece a capital paulista, a zona leste é a região mais habitada do país. Somando seus habitantes chega-se a um total de mais de 3,99 milhões de habitantes (isso representa mais de 35% da população total da cidade, que ainda se divide nas zonas norte, sul, oeste e centro – dados habitacionais retirados do site da Prefeitura de SP). E, para se ter ideia, o alcance de malha metroviária na região é inferior às demais áreas da cidade, cuja concentração maior se dá entre as regiões sul e oeste (atendidas pelas linhas 3, 4 e 2; a zona leste, em contrapartida, é atendida pela linha 3 e, num pequeno trecho, pela linha 2).

Além disso, a zona leste possui uma das maiores malhas ferroviárias da cidade, tendo estações dentro de diversos bairros. Porém, para desconforto de todos, os trens da CPTM vêm de outros municípios da região metropolitana, vindo abarrotados.

E, para contribuir com toda a cena, o metrô da zona leste é de superfície (pelo menos a maior parte de sua extensão). Isso dificulta muito o tráfego das composições lotadas em dias de chuva, que, por sinal, mesmo em dias normais estão deixando a desejar segundo usuários da linha vermelha.

E, para desespero de muitos, a ligação entre os jogos da copa, os hotéis da zona sul e oeste da cidade e o Itaquerão será feita por meio da linha 3, dos trens da CPTM e dos ônibus existentes; ou, ainda, pelo acesso Jabaquara-Terminal São Mateus, passando por Santo André e São Bernardo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s