MÍDIA DIGITAL: UM FENÔMENO CRESCENTE


|| TECH & MERCADO
10/08/2012 às 16h46 | Por Igor Dias
Antes, a televisão era o maior meio de comunicação criado pelo Homem. Hoje, essa realidade se vê ameaçada pela Internet, que tem conseguido impressionantes marcos dada sua velocidade de crescimento e popularização da Rede. E, no meio publicitário, isso não poderia ser diferente.

É crescente o investimento do Mercado.

 

Sem pestanejar, a Internet é um dos mecanismos mais usados pelo Homem. Dificilmente se vê pessoas que não estejam, ao menos nos maiores pólos mercadológicos, conectados à Rede Mundial de computadores, que, segundo analistas, já necessita de ampliação. Praticamente tudo que está sendo pensado pelos desenvolvedores é, de alguma forma, ligado a este universo. Há alguns anos, o celular não existia, hoje, até mesmo eles são desenvolvidos com ferramentas que se interligam à Internet.

E se engana quem pensar que essa diversidade aparece apenas nos celulares. A cada dia, com o desenvolvimento maciço de novas tecnologias, novos aparelhos e plataformas começam a interagir com o ambiente cibernético. São tablets, aparelhos de telefones, televisores, videogames, praticamente tudo está interligado à rede.

A televisão, no Brasil, ainda possui muita força, mas vem perdendo espaço para sites voltados à reprodução de vídeos, como o Youtube e o Vimeo. Principalmente pelos adolescentes, essas novas plataformas de reprodução audiovisual crescem e se firmam no mercado, fazendo com que a TV, ao menos, repense seus conteúdos. E sabe o porquê disto? Pela simples comodidade de poder “pular” o gigantesco número de comerciais que a televisão insiste em deixar na sua grade. Esses reclames, como diria o Faustão, ainda que sejam curtos, tomam muito tempo dada a quantidade alocada dentro do espaço da grade televisiva.

Em contrapartida, o Youtube, entre outros sites do ramo, fazem inserções pequenas nos vídeos e possui a possibilidade de pular ou não a propaganda. Com isso, o desafio de se fazer propagandas se torna maior para todos os agentes envolvidos neste universo tão competitivo. Apesar disto, o crescimento maciço do mercado voltado às mídias digitais está crescendo ano após ano, e não apenas pelo aumento de investimentos na área, mas pela aceitação maior dos internautas, dada que a possibilidade de se ver a propaganda apenas uma única vez é mais bem aceita do que ver diversas propagandas num curto período de tempo.

Eu prefiro assistir pelo Youtube, ‘tá ligado’, porque eu não preciso ficar muito tempo esperando pra ver o que eu quero. A TV tem muito comercial e isso é muito chato – diz Leonardo Brito, 16 anos, morador da Zona Leste da capital paulista. Acrescenta ainda que a quantidade de comerciais que tem na TV é muito grande e, na Internet, vejo se eu quiser.

Além deste fator, outros ainda reforçam a permanência das mídias pensadas para a Internet. E um bom exemplo disso é o crescimento do número de internautas que, em 2010, ultrapassou os 80 milhões de usuários no Brasil (é, praticamente, 2 Argentinas ou, ainda, 1 Alemanha inteira). Com crescimento de 40% no faturamento do mercado, alcançando os R$ 15 bilhões de reais em 2010, o mercado virtual dentro do Brasil está se fortalecendo e, como tal, precisa ter estratégias focadas e que interajam com o público-alvo. Talvez, o melhor exemplo disso tenha sido o famoso comercial dos pôneis malditos, que virou febre no país.

Esse mercado tem evoluído tanto e tão rápido, que diversas ações publicitárias são pensadas exclusivamente para a Internet, com inserções, por exemplo, por meio das Redes Sociais. E um bom exemplo disto é visto na campanha do Burguer King, uma gigante concorrente do McDonallds. A empresa, comemorando seu primeiro milhão de fãs na página do Facebook, está distribuindo 1 milhão de sanduíches gratuitamente. E isso está sendo apenas divulgado na Internet, sem sequer passar pela televisão (veja a fan page aqui).

Mesmo os movimentos sociais, percebendo essa aceitação pelos usuários dos serviços da internet, estão usufruindo desta ferramenta para consolidar suas ações. Em São Paulo, por exemplo, não foi difícil juntar manifestantes para um churrascão em protesto à possibilidade de não construção de estações de metrô em alguns bairros nobres da cidade. O evento chegou a ser noticiado pelas principais agências de notícias do país, tendo notoriedade nacional.

Em resumo, as mídias virtuais, sobretudo as que estão atreladas às gigantes do mercado, como o Facebook, a Google e tantas outras empresas, estão, a cada dia mais, presentes no convívio da sociedade. E os esforços para alcançar a maior quantidade de clientes continuam. Quando a televisão começou a ser comercializada, o rádio já era bem popular e as estratégias de marketing foram adaptadas para esta nova ferramenta. E, hoje, mais de meio século depois, a Internet passa a ser uma forte concorrente para a TV. E, da mesma forma, o mundo presencia a mudança de comportamento e de estratégias publicitárias voltadas justamente para este público hi-tech.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s